12 de abril de 2011

Enerlivre 2011 começa nesta terça. setor produtivo quer melhorar discussão sobre energia com governo

A criação de canais efetivos de maior relacionamento entre os setores produtivo e privado com o Governo Federal e o Congresso, além da criação de uma agenda positiva entre as partes com o objetivo de evoluir na questão da oferta de energia a um custo competitivo são os temas dos painéis de abertura do II Enerlivre – Encontro de Negócios entre Agentes do Mercado Livre de Contratação de Energia, que acontece entre os dias 12 e 13 de abril em Brasília.


Promovido pela Abrace – Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres, os painéis terão a participação dos principais representantes da indústria (CNI, Abal, Abiclor, Abividro entre outros) e do governo, além de parlamentares.

O II Enerlivre contempla ainda rodada de negócios e diversos workshops. Durante o evento será discutida os termos da Carta de Brasília que coloca a energia com um dos fatores de competitividade para o Brasil. Os organizadores também vão buscar ampliar ainda mais a adesão ao manifesto contra a manutenção da Reserva Geral de Reversão (RGR), encargo que custa R$ 2,5 bilhões aos consumidores, prevista para ser extinta em dezembro passado, que o governo quer prorrogar até 2035.

Conheça mais detalhes do evento que acontece no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21 - Setor Hoteleiro Sul, Quadra 6, Conjunto A, em Brasília, entre os dias 12 e 13 de abril no http://www.metodoeventos.com.br/enerlivre2011/

Propostas - As grandes indústrias que consomem mais de um terço da energia gerada perdem competitividade por conta dos altos encargos embutidos na conta. Estudos com recomendações para reverter essa situação e ainda melhorar a economia serão apresentados. Um deles projeta aumento de R$ 695 bilhões no PIB caso se adotem medidas voltadas à energia competitiva.


Ainda sobre a questão do custo de energia e seus impactos na indústria energointensiva, haverá, dia 13, às 8h45, painel específico para discutir um modelo que favoreça a continuidade e a ampliação de investimentos desse segmento. Vão liderar este painel Jorge Gerdau, presidente do conselho de administração do Grupo Gerdau e membro fundador do Movimento Brasil Competitivo (MBC), o ministro Moreira Franco, da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e o senador Delcídio Amaral, presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal.


Para discutir a gestão de risco da contratação de energia em um cenário de expansão da oferta a partir de diversas fontes, o II Enerlivre vai reunir, entre outros, Nelson Hubner, diretor geral da Agência Nacional de energia Elétrica (ANEEL), João Carlos de Oliveira Mello, presidente da consultoria especializada Andrade & Canellas e Sérgio Granville, da PSR Consultoria.


O gás natural também está contemplado no II Enerlivre. Um painel específico vai debater a expansão da oferta desse insumo e tratar das contribuições para esse novo cenário. As discussões ficarão a cargo de Symone Christine de Santana Araújo, diretora nacional do Departamento de gás Natural do MME e Zevi Kann, da Arcesp, a agência reguladora de energia do Estado de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário