16 de março de 2011

Japão 2 – Efeito colateral

O consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), prevê que haverá impacto também sobre o preço do gás natural. Isso porque os japoneses terão que acionar as usinas termelétricas movidas a gás para produzir energia. E porque o próprio mundo tende a se voltar para essa fonte, com a aversão ao risco da energia nuclear. A Alemanha, por exemplo, que pretendia prolongar por mais 14 anos a vida útil de sete usinas nuclea- res, decidiu suspender temporariamente as atividades nas plantas mais antigas do país, construídas antes de 1980:

"A tendência agora é que o gás se valorize no mundo todo porque é uma fonte de energia muito mais limpa que o carvão. É uma mudança de tendência, porque o gás vinha perdendo valor nos últimos dois anos. Para o Brasil, isso significa que iremos importar gás mais caro, já que ainda não somos autosuficientes ". (O Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário