25 de março de 2011

Indústria discute custos da energia

Evento organizado pela CNI e a Abrace reunirá representantes do governo e líderes empresariais em Brasília na próxima quinta-feira, 31 de março

O impacto dos encargos sobre as tarifas de energia elétrica sobre os custos de produção da indústria brasileira e os estudos que compõem o Projeto Energia Competitiva (PEC) integrarão o seminário que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais e de Consumidores Livres de Energia Elétrica (Abrace) realizarão na próxima quinta-feira, 31 de março.

O evento, que ocorrerá das 9h às 12h30 na sede da CNI, em Brasília, terá a presença de Paulo Pedrosa, presidente executivo da Abrace, da secretária de Desenvolvimento da Produção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Heloísa Menezes, e do vice-presidente do Conselho Diretor da Abrace, Eduardo Carlos Spalding.

De acordo com avaliações feitas pela CNI, os custos dos encargos, taxas e impostos representam 51,6% do valor da conta de energia elétrica, mais do que o dobro dos 23,3% registrados na Itália e cinco vezes a mais que os 9,9% da Espanha. Segundo os estudos do PEC, os custos da energia no Brasil estão entre os mais altos do mundo. A energia elétrica para a indústria é a terceira mais cara e o gás custa no Brasil o dobro do valor cobrado nos Estados Unidos. Esses valores comprometem a competitividade brasileira, especialmente a indústria eletrointensiva, como a de alumínio e a de cloro-soda, em que a energia representa, respectivamente, 40% e 45% em média do total dos custos de produção.

Serviço

Evento: Seminário Energia Elétrica – Fator de Competitividade da Indústria Data: 31 de março de 2011 Horário: de 9h às 12h30 Local: sede da CNI em Brasília – Setor Bancário Norte, Quadra 1, Bloco C, Edifício Roberto Simonsen – Brasília - DF

Nenhum comentário:

Postar um comentário