4 de março de 2011

''Desaceleração da economia é mais lenta do que estão achando''

"Um crescimento de 4% ao ano é o que eu acho que dá para pensar. Mas tem gente competente que afirma que, se acrescentarmos à conta as restrições no mercado de mão de obra, 4% é muito. É útil separar a questão de demanda e oferta. A demanda cresce 6%, 7% ao ano, o que parece sustentável - atende-se 4% com produção local e o resto do exterior. O que não é sustentável é a oferta crescer atrás disso. Pelos suspeitos de sempre: tributação em excesso, regulação de má qualidade, logística muito precária, energia elétrica cara para o sistema produtivo e, mais recentemente, as restrições de mão de obra. Ou seja, quando a demanda cresce mais de 6% ou 7%, as pressões inflacionárias aparecem.

Leia a íntegra da entrevista com José Roberto Mendonça de Barros ao O Estado de S. Paulo aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário