31 de março de 2011

CNI: Competitividade, a palavra de ordem em Brasília

Brasil ainda é uma economia de alto custo, encargos trabalhistas pesados, juros altíssimos, elevada carga tributária e energia cada vez menos competitiva

Dia 29 de março, foi lançada a Agenda Legislativa da Indústria 2011. O material foi produzido pela Confederação Nacional da Indústria, com a participação das 27 Federações das Indústrias Estaduais e mais 51 Associações setoriais nacionais.

Foram analisados cerca de 400 projetos, sendo que 128 foram selecionados para fazerem parte da Agenda 2011. Desses 128, 21 estão entre os considerados “pauta mínima”, ou seja, essenciais para ampliar a competitividade e modernizar o ambiente de negócios, os que combatem a burocratização, a elevação de custos e dificultam a inserção mais célere do Brasil na economia Global.

O Brasil ainda é uma economia de alto custo, encargos trabalhistas pesados, juros altíssimos, elevada carga tributária e energia cada vez menos competitiva. Mesmo com o País evoluindo e sonhando com taxas de crescimento mais elevadas, é notório que estratégias devam ser repensadas para nos blindar das mais variadas turbulências internacionais que virão, desde crises econômicas a guerras localizadas. Temos que estar sólidos o suficiente para deixar as dificuldades com as economias menos edificadas.

Leia íntegra do artigo aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário