25 de março de 2011

A árvore da vida

O essencial é aceitar que o mundo não pode abrir mão de uma fonte de energia tão eficaz e abundante quanto a nuclear. Toda a exposição de Schwarzenegger girou em torno da necessidade de conciliar formas de geração de energia limpa com a criação de empregos e o desenvolvimento. Esse é o ponto. À medida que essa discussão evoluir e transformar em princípio universalmente aceito a ideia de que a energia limpa é ume stímulo, e não uma âncora para a economia, a humanidade inteira sairá ganhando.

Leia a íntegra do artigo do jornalista Ricardo Galuppo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário