23 de fevereiro de 2011

Competitividade da indústria preocupa governo, diz Mercadante

O vice-presidente do Conselho Diretor da ABRACE, Eduardo Carlos Spalding, e o presidente-executivo da entidade, Paulo Pedrosa, lideraram grupo de representantes da indústria em visita ao ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, no último dia 16. A reunião faz parte das atividades do Projeto Energia Competitiva (PEC).

Na avaliação de Spalding, que também é coordenador da Comissão de Energia da Abal (alumínio), a reunião foi extremamente produtiva. “Mercadante se constituiu numa grata surpresa”, afirma, acrescentando que o ministro impressionou a todos pela sua fácil percepção sobre a importância do assunto debatido, pelo conhecimento da matéria e pela objetividade com que tratou os temas em discussão. “Mais importante de tudo foi a sua genuína concordância em relação a vários pontos por nós apresentados e sua manifesta disposição para nos auxiliar a expor nossas teses a outras áreas do governo”, avalia Spalding.

Na reunião, Mercadante mostrou-se compreensivo em relação às dificuldades da indústria por conta do elevado custo da energia, lembrando que a competitividade da produção brasileira é uma das principais preocupações do governo. Mas, diante da urgente necessidade de se buscar o equilíbrio fiscal no curto prazo, alertou para a dificuldade de se reverter a prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR), considerando possível apenas a estratégia de redução gradual do encargo nos próximos anos.

Os próximos passos no relacionamento com o ministro incluem o encaminhamento dos estudos do PEC para avaliação. “Sabemos que o trabalho de articulação com os membros do governo é intenso e desafiador. Mas, assim como temos feito com as demais associações de consumidores e do setor de energia, vamos continuar trabalhando para aumentar a articulação da indústria com o governo”, explica Pedrosa. Nas próximas semanas, a perspectiva é realizar encontros com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e com o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, além de continuar a buscar uma reunião com o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, para discutir os mesmos temas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário