19 de janeiro de 2011

Energia competitiva em favor no desenvolvimento econômico e social

O Brasil poderia acelerar o ritmo de crescimento da sua economia em cerca de 20% até 2020 com a adoção de mecanismos para melhorar as condições de fornecimento de energia elétrica à indústria. No período, a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) passaria da previsão de 4,99% ao ano para 5,91%, com efeitos positivos para toda a sociedade.

Esses são alguns dos resultados do estudo Efeitos do Preço da Energia no Desenvolvimento Econômico - Cenários até 2020 desenvolvido pelo Projeto Energia Competitiva (PEC), que reúne seis entidades representantes da indústria.

Além do impacto direto no PIB, estima-se que as mudanças propostas permitiriam, em 2020, uma arrecadação adicional de impostos e contribuições de mais de R$ 200 bilhões, valor muito superior a eventuais perdas de receita devidas à implantação das medidas sugeridas pelo PEC.

Baseados em estudos das consultorias FGV Projetos e Andrade & Canellas além de consultorias do meio acadêmico, o PEC compara um cenário de aperfeiçoamento das regras com o cenário de continuidade, que tende a desestruturar as cadeias produtivas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário