24 de janeiro de 2011

Agora é hora de priorizar a competitividade

“A energia mais cara não é aquela que não se tem; é aquela pela qual não se pode pagar”: a citação é de Paulo Pedrosa (foto), presidente-executivo da ABRACE, no lançamento da terceira fase do Projeto Energia Competitiva (PEC). Segundo ele, a oferta de energia está assegurada mesmo que o País cresça 7% ao ano. O grande problema são seus custos que tiram a competitividade da nossa indústria”. Por isso a necessidade do PEC que contribui com sugestões e ações ganha-ganha que levarão o Brasil e brasileiros a viverem um crescimento ainda maior.

O PEC demonstra que, com a adoção de melhorias nas condições de competitividade da energia, o Brasil poderia atingir uma taxa de crescimento econômico sustentado, com maior geração de emprego e melhor distribuição de renda. O Projeto também contribui, por meio de estudos, com soluções no âmbito técnico, regulatório e político que podem reverter essa situação e tornar o crescimento da indústria e da qualidade de vida do Brasil e dos brasileiros em algo vigoroso e constante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário